crônica

Janeiro

Publicado em 15 de janeiro de 2019, por Jan Parellada
Compartilhar
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

O Brasil é um país realmente inacreditável, feito uma tradição sagrada, os problemas tiram férias do Natal ao Carnaval. Para que fazer hoje, o que pode ser resolvido o mês que vem. O mês mais longo do ano é janeiro, inclusive para os que estão no engarrafamento da praia.

O que acontece muito em janeiro são cerimônias de posse de cargos políticos, de diretorias de empresas, da direção de sindicatos, da presidência de clubes etc.  O resto pode esperar, urgente em janeiro é coisa de 4 semanas, morte súbita dura pelo menos 48 horas.

No campo ou na cidade, janeiro não é mês de plantar, nem de colher, nem de comprar, nem de vender,  é mês de ficar torcendo para que chova na plantação, e não chova na praia.

Entre o 25 de dezembro e a quarta-feira de cinzas, a chance de ligar para alguém e encontrá-lo no trabalho é escassa. Graças ao celular, conheço gente que tem vergonha de dizer que está trabalhando em janeiro, e descreve as maravilhas do litoral nordestino ainda que esteja sentado na poltrona do seu escritório adiantando planilhas de cálculos para março.

Pouca gente faz aniversário em janeiro, já que a cesárea é marcada para depois do desfile de Carnaval. O que tem de gente nascida em março é uma enormidade, inclusive eu e meu irmão mais novo, o mais velho só faz aniversário no segundo semestre, em agosto. Criança só nasce em janeiro por descuido, quando a gravidez não estava nos planos.

O único feriado de janeiro é o dia 01, quando não cai num final de semana, para que criar feriados no mês oficial de férias?!  O brasileiro é tonto mas não é bobo, se Deus descansou no sétimo dia após a criação, a gente descansa no primeiro dia da semana e no primeiro mês do ano.

Tomar decisões e resolver problemas em janeiro, nem pensar, janeiro a gente planeja tudo com muita calma, enquanto reclama do calor e queima a bunda na areia, em fevereiro a gente começa a pensar no caso, emenda o Carnaval, e fica tudo acumulado para março em diante.

Procuro tirar férias em janeiro, não porque é verão, nem porque tenha filhos pequenos, os meus filhos já estão bem grandinhos, inclusive casados, também não é motivo uma paixão incontida por sair de férias neste mês, onde viajar custa o dobro, quando não triplo de uma viagem em abril ou maio. A verdade é que em janeiro até os benditos campeonatos de futebol tiram férias, fica de consolo a Copa São Paulo de Juniores , onde só menores de 21 anos podem jogar, gostaria de fazer cursos de línguas, ou de outras coisas interessantes, mas os professores estão de férias e as mulheres com filhos pequenos estão cansadas, aflitas por fevereiro.

A verdade é que tiro férias em janeiro para que ele dure apenas 31 dias, e não os 62 que eles duram quando você está fingindo que trabalha no escritório ou fingindo que descansa  em casa.

Compartilhar
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter